top of page
Buscar

Raiva: corpo de gato recolhido na UnB é analisado por peritos da PCDF

Peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) recolheram o corpo de um gato, morto dentro do campus da Universidade de Brasília (UnB), no sábado (6/8). O animal pode ser o suspeito de ter infectado o jovem de 18 anos que morreu com raiva humana no Distrito Federal, em 30 de julho. O óbito do rapaz foi o primeiro registrado na capital do país após 44 anos de erradicação da doença.

Após analisarem o local por cerca de 20 minutos, fotografarem o felino e o levarem para o IC, peritos devem fazer os exames no corpo do animal nesta segunda-feira (8/8). O trabalho será desenvolvido pela Seção de Engenharia Legal e Meio Ambiente (Selma) do IC.


Prazo

O gato recolhido na UnB pode ser a chave para desvendar o vetor da doença. Na última semana, a família da vítima havia questionado qual teria sido, de fato, o animal infectado pela doença e que contaminou o estudante. Em nota, os parentes da vítima afirmam que a gata citada como vetor de transmissão do vírus permaneceu saudável por 24 dias após a arranhadura que provocou no jovem em 15 de maio.


Denúncia

Caso alguém desconfie que algum animal esteja com raiva é importante comunicar à Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde, pelo Disque Saúde – 160 ou pelo e-mail zoonosesdf@gmail.com.

Além disso, não pode matar o animal agressor. É preciso deixá-lo em observação durante 10 dias, em local seguro, para não fugir nem atacar pessoas ou outros animais. Ele deve receber água e comida, normalmente. Durante a observação, verificar se apresenta algum sinal suspeito de raiva (alteração de comportamento). Caso não seja possível observar o animal em casa, encaminhá-lo ao canil da Gerência de Vigilância Ambiental Zoonoses (GVAZ), Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde, da Secretaria de Saúde.


Fonte: Metrópoles




40 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page